Navegación por
Month: Abril 2016

Vacas e “cumpleaños feliz”!!

Vacas e “cumpleaños feliz”!!

Aconteceu na Galiza uma vez mais. Ontem tocou-nos ser centro e periferia deste mundo infernal que é o capitalismo ocidental!! Ontem um homem meio impedido passou pelo julgado porque mal alimentou e se lhe intoxicarão algo mais duma dúzia de vacas por mor da sua situação económica e de destruição pessoal a que chegou por ver a sua vida arruinada por culpa das política agrárias da União Europeia. Os setores mais sensíveis da sociedade com os animais pedem uma sentencia…

Ler máis Ler máis

Mudar a escala de valores para mudá-lo todo

Mudar a escala de valores para mudá-lo todo

Vivemos num tempo histórico muito interessante pelos câmbios e as contradições e, não estou a falar da política partidária e institucional, estou a falar da sociedade e da sua escala de valores. Até a chegada da crise (precrise) do 2008 as coisas na sociedade estavam claras e pelo tanto o que era bom e o que era ruim debuxava-se com linhas mais definidas e grossas. Case 8 anos depois todo é muito confuso. E é confuso porque na atualidade a…

Ler máis Ler máis

Passado, presente e futuro do nacionalismo galego

Passado, presente e futuro do nacionalismo galego

Passado, presente e futuro do nacionalismo galego DO PASSADO. Quando o nacionalismo representado pelo BNG se precatou que uma vez chegado ao 25 % dos apoios eleitorais se encontrava diante dum “teito de aceiro” e que pelo tanto não era capaz de recavar mais percentagem de apoios iniciou um processo de moderação com o objectivo de seduzir outros sectores da sociedade.  A moderação não lhe permitiu ampliar as bases sociais de apoio, mas pela contra conseguiu gerar descontento, enfado e…

Ler máis Ler máis

Os erros de NÓS Candidatura Galega

Os erros de NÓS Candidatura Galega

Dando por acertado o caminho de intentar sobrevivir em solitário, porque é uma opção política muito legitima, há erros importantes que pudemos ter evitado se a confiança e o bom fazer para intentar seduzir a sociedade galega fosse o objetivo. Penso que a nossa campanha não  transmitiu a ideia de que se quisera seduzir a sociedade galega, mas bem deu-me a imagem de que  buscava “chufarse” do bom galegos e galegas que somos. O primeiro erro foi deixar em evidencia…

Ler máis Ler máis