Fascismo de “Puntilhas”

Fascismo de “Puntilhas”

Uma coisa é defender posturas da pseudociência e outra muito diferente e pensar que em torno da mundo da ciência da meiciña não há portas giratórias, implementação de métodos e meiciñas mediante subornos, visitadores médicos que pagam paparotas, viagens etc etc. Mesmo o consenso científico tem acordado que a coisa A é verdadeira e B não e com o tempo recuar. O número de mortes por efeitos secundarios da meiciñas parecem que não existem porque nos debates e nos meios nada se di dos mesmo. Digo isto porque levamos alguns dias que estão tentando colocar à força argumentos que pretendem desposuirnos do direito individual de decidir sobre os tratamentos de saúde que queremos receber em prol do bem comum. O fascismo de “puntillas” que uma e outra vez tenta instalar na sociedade nesta vez pegou o debate das vacinas e sua obrigatoriedade. Dim que deveria ser obrigatório vacinarse e até mesmo algumas pessoas diz que os pais deveriam perder a custódia se não fazer tal com os seus filhos, porque não são de sua propriedade. Obviamente os filhos não são propriedade dos pais mas muito menos o som dos estados corruptos e das coorporacións farmacêuticas que têm como fim ganhar dinheiro a todo o custo e não salvar vidas. Infelizmente não todos podemos desfrutar do sistema estatal e público de saúde cubano e uma vez que vivemos em um sistema corrupto dos pés a cabeça lógico é que muitas pessoas tenham medo e desconfiança de um modelo de saúde que gira entorno as contas de resultados das grandes farmacêuticas e que são quem de comprar governos, profissionais e meios de comunicação para fazer campanha por eles.

 

Deixa unha resposta

O teu enderezo electrónico non se publicará